14 dezembro 2014


e, 
porque tem dias que um brilho de sol endoidece, mesmo que em mim permaneça a distancia de um toque, de um beijo
e, 
porque se eu não fosse eu, quem seria uma louca no meio de tantos outras uma misera sobrevivente de um dia que tem dias
e,
se os ossos pudessem sentir a dor da falta de um abraço teu do tempo ansiado e inconstante eu diria que sonhei-te
e,
se a solidão não fosse somente a solidão seria um burburinho de gente cantante dentro de mim quem sabe por ironia
e,
esta carência das caricias prometidas no trajecto que me foi imposto de querer e querer sem ainda bem saber o que
e,
porque o trem não parou na estação certa deixou-me nos trilhos da inquietação das certezas de incertezas
e,
se as vezes a vida fosse um jogo, quem seria o campeão de mergulhar na realidade ou ilusão da intimidade de dois seres  
e,
confunde-me esta incógnita em que se move os meus pensamentos onde subsiste a louca e doce lembrança
e,
ahhh a saudade...
essa que chamamos de saudade essa que se perde entre laços que se formam em letras de um qualquer pensamento
e, 
sabes as perdas são isto mesmo, o mimo de cada toque que o corpo recorda como sendo só seu numa mistura tão nossa
e,
amar é isso mesmo é sermos tão completos juntos quanto somos missares separados 
e,
sabes as vezes um beijo teu basta-me










  

9 comentários:

Sattine Rouge disse...

Adorei o texto...
Queremos e precisamos de tantas coisas, mas em alguns momentos o pouco também nos faz tão feliz.

Sussurros delicados!

Eros disse...

As pequenas grandes coisas.

GANDALF disse...

E se....tudo o que chega afinal e assim tão pouco,para nos deixar satisfeitos.

Beijos amiga

Anginha Sexy disse...

Lindissimo!! AMEI

Beijos anginhos.

http://anginhasexy.blogspot.pt/

Rick Salguery disse...

Lindo de ler...próprio para meditar. Gostei

Visite:
http://deliriosamoresexo.blogspot.pt/

Water disse...

... tudo começa num beijo ...

beijos sussurrados

Legionário disse...

A vida se aprende nas perdas. É perdendo a liberdade que a gente descobre que não se encaixa, é perdendo alguém que a gente descobre que não vale a pena lutar por futilidades, é perdendo o apoio que a gente descobre que o resto do mundo não pára só porque nosso mundo parou. A gente vai aprendendo a viver assim, na marra, no grito, no sufoco, no impulso.:)

Anginha Sexy disse...

Um beijo basta-me!! Concordo. AMEI

gostava que me visitasse

Beijus

http://anginhasexy.blogspot.pt/

Shelyak disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.