04 dezembro 2016

é sempre tão igual mas, tão diferente,
quando a devaneio eu te tenho,
entre beijos e amassos devoro-te,
o teu corpo já conheço,
o traçado da pele que passeio entre dedos,
como que as teclas de um piano,
não que saiba tocar piano mas,
no teu corpo eu sei as letras,
a caligrafia do teu sexo,
sei-lhe o gosto a um salgado único,
quando o saboreio com a língua,
o percorro num delúbio faminta,
em suave delicadeza lambo,
como se de um gelado se tratasse,
é-me de um tesão doido endoidecer-te,
sentir-te perdido de ti,
sem rumo ou destino onde parares, 
alucinas-me,
quando já perdida te entrego o meu sexo,
sem pudor ou receios,
sei que me vai amar,
vais levar ao céu,
um céu de terra firme,
quando perdidos nos fluidos de nós estamos,
quando entre lençóis os corpos se entregam,
e,
saber que sou tão Tua em Ti tão Meu,
que quando me puxas para ti vou sentir-te,
que os sexos vão-se lambusar,
que vão trocar carícias entre eles,
que a cada estocada tua em mim é delírio,
que fazer amor é a imensidão do sexo,
sei que os lábios serão soberbos ao receberem-te,
sei que no vai e vêm da fome comemos-nos,
fazemos amor,
fodemos, 
amamos-nos,
somos tão nossos,
e, 
é sempre tão igual mas tão diferente...

03 dezembro 2016


fome de Ti,
quando  coreografia da tua boca me saboreia
quero-te,
com a luxuria na ponta da língua
podias,
saborear-me noite fora vendada por Ti
contorço-me,
nesta tesão do teu sexo,
torturas-me,
porque não me possuis,
toma-me,
em estocadas mansas,
deliro,
sem pingo de vergonha...
fodes-me,
amas-me,
reviras-me do avesso e, fazes-me TUA  
    

02 dezembro 2016

...podia
podia ter-te amado...
ter deixado a boca na tua,
ter encostado a minha mão no Teu rosto,
pousado os meus olhos nos teus,
ter-te olhado devagar,
...podia
ter sussurrado palavras mágicas,
feito amor loucamente,
deixar jorrar de meu sexo o tesão por ti,
ter descoberto a tua essência,
mordiscar a tua orelha,
...podia
proporcionar te belos orgasmos,
teres sentido os desejos proibidos,
na loucura não sentirias a razão, só tesão,
faria-te tremer, gemer,
despertar-te sensações ou outras emoções,
...podia 
não vaguear no limiar da loucura,
não ser rebelde para te desejar, 
não fazer sentido esta vontade,
mas...
alucinas-me,
atordoas-me,
encantas-me,
fascinas-me,
quero apenas sentir...
o desejo que nasceu,
o teu corpo no meu,
a incontrolável vontade que me possuí a alma, 
que me arranca a carne,
que me humedece o sexo,
que me leva a luxúria do teu toque imaginário,
....podia ter sido tão Tua, fosses Tu assim tão Meu!


01 dezembro 2016

tão tua...
é que tem dias que sou mais tua que minha,
preciso do teu olhar,
das tuas palavras caladas quando me miras,
tão Tua...
quando a meio da noite a roupa me tiras,
os lençóis tem o cheiro de nós,
um cheiro que ainda não se misturou,
tão Tua...
ao som do teu respirar no telemóvel,
ao entrelaçar dos dedos na caminhada,
ao abraço que me abriga em Ti,
tão Tua...
na faminta vontade que tens de mim,
na fome do teu sexo em meu,
na destemida ganância de nos comermos,
tão Tua...
sempre que és tão Meu!


só porque esta imagem me atormenta


preciso-te
anseio-te


28 novembro 2016

podia ter-te dito mil palavras,
mas,
os meus olhos contaram-te segredos
quando a tua boca beijou a minha,
quando a tua mão me tocou os seios,
quando tocas-te o meu sexo,
quando o teu dedo me fez controcer,
quando o meu sexo se humedeceu para ti,
mas,
não era de todo o sítio certo,
o espaço estava apertado, curto,
não conseguiria montar-te de jeito,
estava muita gente e, 
o teu corpo não estava a minha mercê,
assim não poderia dar-te o prazer de me sentires,
do teu sexo usufruir do delírio da minha boca,
da minha língua percorrer a luxúria do teu mastro,
mas, 
tocar-te o sexo hirto,
senti-lo escorrer de tesão,
nos meus dedos a prova em meus lábios,
foi loucura,
foi doideira,
faltou, faltou o remate final
da tua estocada fatal,
em entrada triunfal,
onde o teu sexo seria sugado pelo meu,
onde em murmúrios e sussurros,
a explosão de dois corpos seria o pleno êxtase do rebentamento de seres famintos de tesão e luxúria contida...
....sou tua...

27 novembro 2016

não era o dia prefeito
nem tão pouco o momento
mas,
havia a necessidade de conhecer te
já tinha te olhado,
observado o interior dos teus olhos,
numa tela de computador, 
de smartphone,
mas, 
havia necessidade do cheiro, 
do toque do olho por olho, 
algo mexia comigo,
algo me arrepiava o interior dos ossos, 
falamos um pouco,
um pouco para te achar atrevido 
e, te curar as rédeas, 
ainda assim fui conhecer te...
num dia não muito bom de lembranças,
...
bebemos um café,
falamos de filhos, trabalho e outras banalidades,
decidimos caminhar um pouco,
mais um pouco de conversa fiada 
hora foi passando sem darmos conta e, ali estávamos nós conversando
parei para olhar o vazio, o horizonte,
para lembrar aquele dia, aquela data
pousas te o teu rosto no meu ombro,
disseste me algo que não lembro bem como que se estás bem...
respondi te que sim e, sinto um beijo teu com carinho, com mimo...
tiro uma foto...
e, continuamos a caminhar
mais adiante sentas te e sento me a teu colo,
recebo o teu mimo, o teu carinho
pedes me um beijo e, rejeito te
mesmo louca por te o dar
sugeres que encoste o meu em teu nariz ,
prometes que não me beijas,
assim sendo o faço é cumpres o prometido,
ficamos assim momentos,
que a todo o custo fujo receando o beijo,
sempre te pedindo que não o faças e tu aceitando,
sugiro irmos embora é me difícil controlar a vontade, temo ceder, nem sei de que tenho medo mas, tenho...
voltamos a caminhada onde nos deslocamos aos carros, onde me levas ao meu e onde ainda ficamos conversando,
quando de novo sugeres encostar o nariz no meu e após alguns minutos surge o 1° de tantos outros beijos que vieram do teu abraço apertado, do teu corpo já colado no meu, das tuas mãos que me descobrem em esquifes, os desejos aumentam e a minha racionalidade começa a me fazer quebrar e já quase em erupção sugiro que melhor mesmo irmos andando... lançando um balde de água fria como Tu tanto utilizas de expressão...
...mas ficou o desejo, e a vontade de o quero mais, de o quero tudo, de o sou teu de o sou tua...