21 abril 2015

é instinto do corpo
quando falam os desejos
sinto o brotar da semente
...
as tuas mãos desvendam-me segredos
o êxtase dos teus beijos fulminantes
és o repouso do meu corpo cansado
quando as sensações são sentires e caricias 
saboreio-te o corpo do místico dos paladares
roubas-me a roupa 
aconchegas-me os seios em teus lábios
provocas-me espasmos
embriagados de tesão
...
é instinto do corpo
quando falam os desejos
sinto o brotar da semente   



5 comentários:

Anónimo disse...

beijinho bebe
visita ao mise ????

GANDALF disse...

Roubar-te a roupa,parece-me uma excelente ideia,hehehehe

Beijo grande linda

Legionário disse...

É quase impossível conciliar as exigências do instinto sexual com as da civilização!:)

Nuno Filipe disse...

O poema é super poético e a imagem divina. Permito-me "roubar" a imagem, deixando o meu agradecimento.

Deixo cumprimentos

madagascar2013 disse...

"...o brotar da semente..." assim é o prazer e assim se definem os sentidos