09 janeiro 2015

amantes...

olhei-te novamente, 
contemplar o teu ser
nos demais instantes promoves-me 
a tua boca aproxima-se
sento-te o respirar,
na ganancia espero o teu beijo que não vem 
nossos olhares revelam segredos,
revelam desejos contidos,
vão respirando nossas bocas sem toque 
estamos noutro mundo, num mundo tão nosso
escassa-se as palavras que nem se dizem
dizemos tanto no silencio 
o meu coração palpita
debruço-me a um gesto teu 
para te ouvir melhor, não ouço
limito-me a sentir...
sentir,
o teu toque no rosto,
o carinho contido,
apenas gestos...
sem palavras...
as bocas instantaneamente beijam-se 
respiro o tesão de nos
os gemidos que damos
o perfume de ti que tatuas em mim 
quebra-se a distancia
os corpos unem-se 
exalando o que sentem o que querem sentir
vais domando-me...
em meu corpo vais dançando o teu...
afrontas-me os desejos da carne
possuis-me...
fazes-me tua
fazes-te teu em mim....














  

5 comentários:

Water disse...

delicioso

beijos sussurrados

Nádia Santos disse...

Excitante e delicioso demais!!!!!
Xeroooo

Anónimo disse...

Não precisamos de falar sabemos o que queremos
Beijo bebé

GANDALF disse...

Aqueceste o ambiente cá em casa,loooool

Beijo grande

Legionário disse...

Que sempre existam almas para as quais o amor seja também o contacto de duas poesias, a convergência de dois devaneios. O amor, enquanto amor, nunca termina de se exprimir e exprime-se tanto melhor quanto mais poeticamente é sonhado. Os devaneios de duas almas solitárias preparam a magia de amar. Um realista da paixão verá aí apenas fórmulas evanescentes. Mas não é menos verdade que as grandes paixões se preparam em grandes devaneios. Mutilamos a realidade do amor quando a separamos de toda a sua irrealidade.

Bom Fim de Semana, Ly:)