30 agosto 2014

desarrumas o corpo
o tempo corre depressa demais 
preciso de matar esta vontade
protegida em teu peito
como que se houvesse algum medo
sem pressa ama-me
quebra-me as amarras 
esquece o tempo la fora
vem viver o agora
revivamos momentos
sente o silencio dos corpos 
como conheço a lacuna da abstinência
misturemos-nos e jamais seremos sós 
faz de mim em ti
desarruma-me o corpo 


6 comentários:

GANDALF disse...

Desarruma-se o corpo,a cama,os lençóis e tudo o mais que seja necessário para aplacar essa urgência que o corpo pede,ai o calor do verão,só faz bem a tudo,loooool

Beijo grande linda ;)))

Orlando N. disse...

Como mata as sedes desarrumar...
Um beijo, Ly

SkinParties disse...

We're open...

Nikita disse...

...e tudo o resto não interessa! ;)

Beijo grande

Jorge disse...

Grande lambileda...Adoro quando as faço vir na minha língua...

Anjos Maus disse...

Olá Ly!!!
Passando passando para visitar
esse espaço, e confesso que gostei
muito, Parabéns...