31 outubro 2015





gosto deste pragmático sentir,
do prazer que me das quando me amas,
será que sou eu que te invento!?!?,
Vejo te mais com os sentidos do que com o olhar,
confesso gostava de estar ai,
onde tu estas dentro de mim,
no colo do meu peito aconchegas as turbulentas vontades da tua mente,
pousas nos meus seios a tua cabeça,
afago os teus cabelos,
mimo te,
quando o cansaço te e imposto tens o meu colo,
o meu eu em ti,
eu acredito no amor assim,
vem dormir no meu regaço,
abro te os braços envolvo te,
nas veias a morfina do desejo,
os murmúrios incendeiam vontades,
apetece me enfeitar te de beijos deslizar meu em teu corpo,
apetece me a sôfrega paixão que me despe a timidez e me desnuda a alma,
ouço a translucida respiração a mente não sente,
age em esculpido corpo por prolongados ócios de sexo e prazer...
...ou...
será que sou eu que te invento!?!?...
 
 
 

7 comentários:

O Homem Discreto disse...

Excitante!

H.D.
http://www.ohomemamantediscreto.blogspot.com

O Homem Discreto disse...

Excitante!

Beijos,
H.D.

Visite o meu blog :)
http://www.ohomemamantediscreto.blogspot.com

Vanessa Flor disse...

Olá

Um poema deslumbrante que me excitou os sentidos. Gostei muito
Beijo

pirata disse...

no "catálogo de movimentos" de que o meu corpo é capaz, muitos estão reservados para ti...

DARK disse...

"...nas veias, a morfina do desejo"
Que maravilha é quando se sente isto!

Excelente fim de semana carrissima

WOLF disse...

Gostei,muito..apaixonado ;)

Beijos amiga

Observador disse...

Belo texto, bem acompanhado pela imagem.
Bj